Família acusa hospital em Brasília de trocar corpo de idoso

Diagnosticado com pneumonia, o aposentado Pedro Gabriel de Albuquerque, 80 anos, morreu na última sexta-feira (8/6). Porém, três dias depois do falecimento ainda não conseguiu ser cremado pela família. Tudo porque, segundo parentes, o hospital particular São Mateus, no Cruzeiro, onde o idoso estava internado, teria trocado o corpo dele com o de outro paciente.

Familiares do aposentado Pedro Gabriel de Albuquerque, de 80 anos, acusam o hospital particular São Mateus, no Cruzeiro, de trocar o corpo dele com o de outro paciente. O idoso morreu na última sexta-feira (8) e sua cremação foi adiada para 17h desta segunda por conta do equívoco.

A filha Hagda Daiany Rosa de Albuquerque levou um susto quando funcionários do necrotério do hospital abriram a gaveta onde seu pai supostamente estaria. “Meu pai é branco e o outro senhor era moreno. Não sei como puderam se confundir assim”.

Revoltada, Hagda acredita que a unidade de saúde foi negligente. “Me deixaram duas horas e meia esperando. Não mandaram ninguém para solucionar o problema. E se eu não percebo o erro? Quem eles iam enterrar?”.

De acordo com o Metrópoles, a filha quer processar o hospital por conta do ocorrido. “É uma falta de respeito sem tamanho. Nem desculpas eu recebi. Tive que mudar todo o cronograma”.

A 3ª Delegacia de Polícia (Cruzeiro) investiga o caso. A polícia informou que o corpo do idoso chegou a ser levado por família por engano. Eles comunicaram o hospital e a funerária responsável pelo transporte Boa Esperança após perceberem o erro.

O proprietário da funerária, Fernando Vieira, de 26 anos, culpa a própria unidade hospitalar. “Nos comunicaram que a família havia reconhecido e que era para irmos lá pegar o corpo. Nosso procedimento normal de todo dia”, explica.

Até o momento, o hospital São Mateus não se pronunciou sobre o caso.